Sobre o autor


Prof. Dr. Thadeu de Sousa Brandão

Sociólogo, Mestre e Doutor em Ciências Sociais pela UFRN. Professor Adjunto (IV) de Sociologia da UFERSA e do Mestrado Acadêmico Interdisciplinar em "Cognição, Tecnologias e Instituições" (CCSAH/UFERSA) - (Nota 4 CAPES). Líder do grupo de Pesquisa "Observatório da Violência do RN". Autor de "Atrás das Grades: habitus e interação social no sistema prisional", "A Senhora do Sertão: a Festa de Sant'Ana de Caicó" e co-autor de "Rastros de Pólvora: Metadados 2015" e de "Observatório Potiguar 2016: Mapa da Violência do RN". Apresentador do Programa Observador Político da TV Mossoró e 93FM. Colunista do Jornal O Mossoroense. Consultor da Comissão de Segurança Pública e da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RN.

Política, Sociologia, Ciência, Cultura e Filosofia. Blog criado em 22 de Outubro de 2012 e organizado por Thadeu de Sousa Brandão.

Siga nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profthadeubrandao/

Contato, críticas, sugestões e artigos: thadeu@ufersa.edu.br

terça-feira, 28 de maio de 2013

Mortalidade por acidentes de motocicleta no Brasil

Evandro Tostes Martins, médico neurologista, mestre em Ciências da Saúde pela UFSC.



Acidentes de trânsito são um dos mais importantes problemas de saúde pública na atualidade,com grandes repercussões econômicas e sociais. Os acidentes e as taxas de mortalidade por acidente de motocicleta estão aumentando na maior parte do mundo. Nesta primeira década deste século o Brasil teve um ciclo de desenvolvimento econômico com consequente aumento na frota de veículos. O objetivo deste estudo é descrever a mortalidade de acidentes de motocicleta entre 1996 a 2009 no Brasil, suas regiões e estados. Os dados foram obtidos do SIM (Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde e do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística) como um todo e de seus estados e regiões e Distrito Federal. Aumentos anuais das taxas de mortalidade foram estimadas com o método de Prais-Winsten de correlação linear. A taxa de mortalidade aumentou de 0,5 para 4,5 por 100.000 habitantes no país como um todo. Um aumento de 800 % no período, com um aumento médio anual de 19%. Taxas de mortalidade aumentaram em praticamente todos os estados e regiões do Brasil, as taxas de maior crescimento foram dos estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. As mortes e lesões por acidente de motocicleta são um crescente problema de saúde pública com importantes repercussões sociais e econômicas. Os dados apresentados sugerem que o poder público não tem assumido satisfatoriamente a responsabilidade que lhe cabe no controle e redução dos acidentes de trânsito, sobretudo ao de motocicletas. Prevenir lesões e mortes por acidentes de motocicleta é um crescente e significante problema de saúde pública.

Para ler o texto na íntegra, clique AQUI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário