Sobre o autor


Thadeu de Sousa Brandão

Sociólogo, Mestre e Doutor em Ciências Sociais pela UFRN. Professor Adjunto de Sociologia da UFERSA e do Mestrado Acadêmico Interdisciplinar em "Cognição, Tecnologias e Instituições" (CCSAH/UFERSA) - (Nota 4 CAPES). Líder do grupo de Pesquisa "Observatório da Violência do RN". Autor de "Atrás das Grades: habitus e interação social no sistema prisional", "A Senhora do Sertão: a Festa de Sant'Ana de Caicó" e co-autor de "Rastros de Pólvora: Metadados 2015" e de "Observatório Potiguar 2016: Mapa da Violência do RN". Apresentador do Programa Observador Político da TV Mossoró e 93FM. Colunista do Jornal O Mossoroense.

Política, Sociologia, Ciência, Cultura e Filosofia. Blog criado em 22 de Outubro de 2012 e organizado por Thadeu de Sousa Brandão.

Siga nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profthadeubrandao/

Contato, críticas, sugestões e artigos: thadeubrandao@bol.com.br

terça-feira, 30 de julho de 2013

IDHM do RN: Mapa

Segue o mapa de classificação do IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios) medido pela ONU e publicado este ano. 





O IDH é uma medida comparativa usada para classificar os países pelo seu grau de "desenvolvimento humano" e para ajudar a classificar os países como desenvolvidos (desenvolvimento humano muito alto), em desenvolvimento (desenvolvimento humano médio e alto) e subdesenvolvidos (desenvolvimento humano baixo). A estatística é composta a partir de dados de expectativa de vida ao nascer, educação e PIB (PPC) per capita (como um indicador do padrão de vida) recolhidos a nível nacional. O IDHM, no caso, trabalha com dados dos municípios.

Os únicos municípios acima da média de IDHM (0,7) foram Parnamirim, Natal, Mossoró e Caicó. Os demais patinaram na média ou bem abaixo dela. Perceba a homogeneidade do Seridó em termos de média e a grande discrepância das regiões Agreste e Mato Grande, áreas mais pobres do RN. Há 20 anos, apenas Natal figurava com índice acima da média, hoje mais três acompanham a capital. Interessante frizar que foi na educação o maior crescimento no período, cerca de 147% de melhoria, embora ainda muito a desejar. Outro ponto: o RN não há municípios nos dois extremos, seja em situação ótima (acima de 0,8) ou extremamente pobre (abaixo de 0,5).

Nenhum comentário:

Postar um comentário