Sobre o autor


Thadeu de Sousa Brandão

Sociólogo, Mestre e Doutor em Ciências Sociais pela UFRN. Professor Adjunto de Sociologia da UFERSA e do Mestrado Acadêmico Interdisciplinar em "Cognição, Tecnologias e Instituições" (CCSAH/UFERSA) - (Nota 4 CAPES). Líder do grupo de Pesquisa "Observatório da Violência do RN". Autor de "Atrás das Grades: habitus e interação social no sistema prisional", "A Senhora do Sertão: a Festa de Sant'Ana de Caicó" e co-autor de "Rastros de Pólvora: Metadados 2015" e de "Observatório Potiguar 2016: Mapa da Violência do RN". Apresentador do Programa Observador Político da TV Mossoró e 93FM. Colunista do Jornal O Mossoroense.

Política, Sociologia, Ciência, Cultura e Filosofia. Blog criado em 22 de Outubro de 2012 e organizado por Thadeu de Sousa Brandão.

Siga nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profthadeubrandao/

Contato, críticas, sugestões e artigos: thadeubrandao@bol.com.br

sábado, 26 de outubro de 2013

Sobre Vandalismo, Correnteza e Intolerância na CMN

Marcos Dionísio Medeiros Caldas, Advogado, Coordenador Estadual de Direitos Humanos. 

Passado o episódio da Ocupação da Câmara, com as lamentáveis cenas de ontem contra jornalistas barras limpas, uma pauta interessante agora seria assuntar sobre a volta da reeleição do seu presidente. Né não? Também seria o momento da CMN (Câmara Municipal de Natal) começar a cumprir a Lei de Acesso à Informação, divulgando a relação dos servidores e seus respectivos salários. MP, TJ e Governo do Estado já o fazem, porque Assembleia legislativa e CMN também não o fazem? O que tem a esconder da população?
Os ocupantes , meteram os pés pelas mãos quando usaram da força contra jornalistas sérios, barras limpas . Não se constrói um ambiente de democracia e liberdades pela truculência. O cerco aos jornalistas é semelhante ao protagonizado pela Guarda Municipal e PM em episódios recentes: pura covardia.
Danos ao patrimônio público e à memória de Felipe Camarão não ajuda a garantir o Passe Livre e a mobilidade humana para todos em Natal. E a truculência contra os jornalistas e as pichações serão usadas habilmente pelos assalariados do presidente da CMN para lhe colocar uma inimaginável face de Estadista.
O amontoado de lixo que restou na frente da CMN é bem menor do que o que tem no seu interior "derna" a Operação Impacto. Os conchavos, trocas de nomeações e os pistoleiros de aluguel, só saberemos quando a Lei de Acesso à Informação começar a vogar também "na casa do povo".
Quando se enfrenta um inimigo , o embate há que ser travado de maneira altaneira e cívica, de cara aberta como bem clivou Dona Maria Prestes e respeitando a diversidade de opiniões e os seres humanos em geral.
A violência, que já foi revolucionária, hoje, serve tão somente para fortalecer os mantenedores do status quo injusto , privado e sedimentar a hierarquia econômica.
Não permitamos que as agressões a Silvio e Wladimir e os entulhos e pichações, transformem Dickson num estadista , como Bin Laden fez com o sanguinário Bush.
A CMN, prepara-se para aprovar a possibilidade do presidente reeleger-se. Por mais que tenha tido excessos no episódio, nada se compara a mais esse golpe contra a Democracia , o bom senso e a Cidadania.
A Casa que já contou com figuras cívicas e intelectuais como Érico Hacradt, Sérgio Dieb, Juliano Siqueira e Fernando Mineiro e até Edis de feitio conservador, mas íntegros, como Américo Godeiro e Roldão Diniz, precisa inaugurar um novo tempo. Para tal deve reprovar a reeleição do seu presidente e o vandalismo político que voga entre suas 4 paredes.
Ou se reinventa a política ou a intolerância continuará a fazer seus estragos.
Ou como bem pontuou Bertold Brecht : "Um rio que tudo arrasta se diz violento, mas não se dizem violentas as margens que o oprimem."

Nenhum comentário:

Postar um comentário