Sobre o autor


Thadeu de Sousa Brandão

Sociólogo, Mestre e Doutor em Ciências Sociais pela UFRN. Professor Adjunto de Sociologia da UFERSA e do Mestrado Acadêmico Interdisciplinar em "Cognição, Tecnologias e Instituições" (CCSAH/UFERSA) - (Nota 4 CAPES). Líder do grupo de Pesquisa "Observatório da Violência do RN". Autor de "Atrás das Grades: habitus e interação social no sistema prisional", "A Senhora do Sertão: a Festa de Sant'Ana de Caicó" e co-autor de "Rastros de Pólvora: Metadados 2015" e de "Observatório Potiguar 2016: Mapa da Violência do RN". Apresentador do Programa Observador Político da TV Mossoró e 93FM. Colunista do Jornal O Mossoroense.

Política, Sociologia, Ciência, Cultura e Filosofia. Blog criado em 22 de Outubro de 2012 e organizado por Thadeu de Sousa Brandão.

Siga nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/profthadeubrandao/

Contato, críticas, sugestões e artigos: thadeubrandao@bol.com.br

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Políticas públicas, turismo e emprego no litoral potiguar

Jean Henrique Costa, Sociólogo e Turismólogo, Doutor em Ciências Sociais, Professor do Departamento de Turismo e do Programa de Pós Graduação em Ciências Humanas e Sociais da UERN.



O presente artigo discute a tríade “políticas públicas, turismo e emprego”, objetivando analisar as repercussões espaciais desencadeadas pelo desenvolvimento da atividade turística no estado do Rio Grande do Norte (RN), a partir da distribuição dos empregos formais originados entre os municípios englobados pelo PRODETUR/RN I. Destarte, as questões que nortearam este trabalho foram: em que medida a política pública de turismo denominada de PRODETUR/RN I foi eficaz para a geração de empregos nos municípios contemplados? Quais as características destes empregos? E como estes empregos se distribuem e repercutem espacialmente nos municípios integrantes? Isto posto, a área delimitada para o estudo abrangeu os seis municípios englobados por esse Programa: Natal, Parnamirim, Ceará-Mirim, Nísia Floresta, Extremoz e Tibau do Sul. A pesquisa de campo se fundamentou na aplicação de 186 questionários com trabalhadores empregados no turismo litorâneo potiguar, além da realização (secundária) de oito entrevistas com atores sociais diretamente ligados ao tema. Como considerações finais da pesquisa, tem-se que existe uma assimetria no espaço turístico potiguar, onde Natal é o lugar que recebe os maiores benefícios proporcionados pela atividade, enquanto os demais municípios dão sustentação.
 
Para ler o artigo na íntegra, clique AQUI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário